segunda-feira, 23 de maio de 2011

ZÉ ROBERTO ESCREVE: A CARTEIRA

TRIBUNA LIVRE
José Roberto Pereira

Semana passada no Programa Encontro ao Meio Dia do amigo Geninho Tavares, ele entrevistou uma artista da terra e ela falava que só poderia cantar e tocar no Forrobom quem tivesse a carteira da Ordem dos Músicos. Entrou uma ligação e a ouvinte sem conhecimento de causa, colocou esta responsabilidade (dos artistas da terra não tocarem) nas mãos da Prefeita Judith Alapenha, o que não é correto. O advogado para trabalhar precisa da carteira da OAB, o médico precisa da carteira do CRM; o engenheiro do CPEA e assim sucessivamente. O músico para se apresentar nos grandes eventos precisa se profissionalizar, realizar o teste para poder obter sua carteira da ordem dos músicos. Falo isto com tranquilidade, pois foi minha a idéia com a ajuda do Monsenhor Nelson Brito, Dadinho Dias e Vereadora Léa Ramos, de ser criada em Bom Conselho a Associação dos Músicos sendo a primeira reunião realizada no Salão Paroquial no dia 03 de Dezembro de 2005 com a presença de 38 artistas (tenho a ata de presença). Eram metas do primeiro encontro:
1.    Criar a Associação (foi criada inclusive com o CNPJ);
2.    A Associação elaboraria projetos e convênios a ser responsável pelos eventos culturais de Bom Conselho;
3.    Todo músico ter a sua carteira na Ordem do Músicos;
4.    Outras determinações...
Passados 06 anos apenas a Associação foi constituída. Porém, sem a alma de associação, pois o egoísmo não deixa crescer. A falta de união dos artistas de Bom Conselho é muito grande e isto só prejudicado a classe. Tivesse a associação organizada e as metas cumpridas, os músicos não ficariam 06 meses sem receber da FUNDARPE como foi no ano passado e com certeza será este ano. O problema é que nossa Bom Conselho com o seu DNA coronelista acha que tudo é a Prefeitura (enterro, mudança, bola de futebol, dor de barriga, etc). A grande culpa deste fisiologismo assistencialista vem de grande parte dos nossos políticos que prefere dar o solicitado do que um não orientado sempre com a psicose de não perder o voto. O que me preocupa são as novas gerações onde crianças de 06, 07 anos já pedem dinheiro nas campanhas eleitorais viciadas pelos antepassados. Para Bom Conselho pode vir 10 Perdigão, 05 patos, 50 codornas que a mentalidade egoísta continua a mesma, como o verso: “comunga sete vezes por semana, sete vezes engana a eucaristia, lembrando na sua hipocrisia sua alma egoísta e tacanha.”
Agradeço aos amigos Claudio André e Geninho Tavares pela reprodução dos meus comentários. 

CRÔNICA DE CLÁUDIO ANDRÉ O POETA



É ESSA A TUA FELICIDADE?

Que felicidade é essa que se auto-proíbe?
Que felicidade é essa que é limitável?
Que felicidade é essa que os palpites do coração são renegados?
Que felicidade é essa que fazer sacrificio somente se for para me esquecer?
Que felicidade é essa que renegar os sentimentos é questão de desafio, de meta?
Que felicidade é essa que para me esquecer tem que mudar de caminho se quiser ir pro céu?
Ainda não entendi como é a tua felicidade. Felicidade é sinônimo de liberdade, de querer bem, de querer estar perto, de ser reconhecida e valorizada como mulher... Ah, entendi, só podemos dar o que temos. Será que agora descobri como é a tua felicidade?